Traumas Emocionais

Sabemos que muitas doenças existentes têm como fundo, o emocional, muitas das reações biológicas são derivadas de determinados estados psíquicos disfuncionais, estes podem ser traumas ou choques.

Vários são os fatores que levam as pessoas a desenvolverem sintomas emocionais, tais como: bipolaridade, TOC (transtorno obsessivo compulsivo), angústia, medo, síndrome do pânico, depressão, fobias, claustrofobia, ansiedade e doenças Psicossomáticas.

Na maioria dos casos, as causas são desconhecidas, até mesmo, para alguns profissionais da área da saúde, que não associam estas alterações a um trauma emocional. Um evento traumático ou um choque emocional, pode modificar a estrutura de um indivíduo, acarretando uma desordem em seus corpos, físico, psicológico e espiritual, causando um verdadeiro abalo em seu comportamento.

Esses traumas, podemos herdar alguns registros traumáticos dos nossos progenitores, através da (memória celular), no ventre materno, durante a gestação. Os traumas ocorrem com maior frequência na fecundação e nascimento, depois passamos a viver a linha do tempo, onde vivemos sujeitos a todos os tipos de traumas emocionais ou choques, que apresentam seus sintomas, de acordo com um grau de sofrimento maior ou menor, dependendo do estágio em que se encontra cada caso, uma pessoa pode apresentar sintomas de medo, falta de ar, calafrios, medo de morrer, entrar em pânico.

A síndrome do pânico caracteriza-se pela presença de um ataque de pânico, que incluem crises súbitas de mal-estar e sensação de perigo ou morte eminente. Apresenta ainda múltiplos sintomas e sinais de alerta e hiperatividade autônoma, atingindo seu máximo, em cerca de dez minutos.

Essas crises podem levar a vítima a um comportamento desadaptativo e a busca desesperada de ajuda em um Pronto Socorro. Em contextos especiais, a pessoa consegue se controlar apesar do desconforto e insegurança serem intensos. Um ataque de pânico espontâneo inesperado e intenso pode ser uma experiência avassaladora.

A pessoa está bem, sem maiores preocupações, quando percebe algo indefinido, mas claramente ameaçador da início a uma sensação inesperada de falta de ar, tonteira, balanço, flutuação ou alteração de percepção visual, são prenúncios de perda da razão ou de consciência, o que nunca ocorre, pois isso denominamos uma crise de pânico.

Compartilhar

Buscar no Blog

Publicações Recentes

Receba em seu e-mail

Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos exclusivos.