Não eduque por meio de ameaças!

Você já deve ter ouvido e até reproduzido uma frase de ameaça para obter obediência de alguma criança, frases como: não vai ali que tem bicho papão, vamos embora para o monstro não te pegar, está na hora de dormir ou o lobo mal vai aparecer, e mais um extenso repertório de criaturas assustadoras. E então, quando as chamamos e não recebemos o devido respeito, ficamos frustrados, afirmamos serem mal criados, teimosos e por aí vai.

O que você anda alimentando nas crianças? Seus medos e inseguranças ou o respeito? Um desenvolvimento baseado em chantagens e repressão por figuras externas não resultará em uma boa educação, muito menos em compreensão, apenas adestramento. Por que não simplesmente informar para seu filho que ele irá dormir, pois este é o horário adequado para ele? Ou que ele tem que se alimentar corretamente porque é o necessário para crescer saudável? De fato na prática é mais difícil, uma incansável luta para impor limites, onde muitas vezes os pais desperdiçam mais energia do que deviam. Mas, saber interpretar a atitude da criança é a chave para impor os limites, a criança deve saber que obedecer aos pais contribui para uma dinâmica familiar harmoniosa, na qual todos são recompensados e não apenas os pais. Você deixa claro e demonstra isso para ela?

Se divirta com a criança, converse e demonstre carinho. Ao criar um bom vínculo afetivo e construir uma cumplicidade, ela fica segura que já tem a atenção dos pais e não precisa usar de desobediência para ser o foco. Assim, quando você precisar pedir algo ou estabelecer regras, a criança irá entender que há situações em que se deve obedecer, pois existem outros momentos de afeto e brincadeiras que valem a pena. Não é preciso mimar, dar presentes caros e sim apenas brincar. Valorize o papel da criança em casa e separe pelo menos 15 minutos para brincar verdadeiramente com ela, a qualidade da interação é mais importante que a quantidade. E então, quando você pedir algo, dê ordens claras e diretas para ela, use a linguagem adequada à faixa etária, fale com tom firme e a olhe nos olhos, seja persistente que irá funcionar. Quando for informar o que a criança tem que fazer, diga uma única vez e aguarde, se ela não fizer o que foi pedido, pegue-a pela mão e a acompanhe mostrando como executar o pedido. Lembre-se de nunca pedir algo que a criança não sabe ou que você ainda não a ensinou, ela ficará frustrada e você irritado.

Sempre esteja preparado para lidar com a desobediência, a criança nem sempre tem o objetivo de afrontar o adulto, mas sim de buscar satisfação momentânea. Mantenha a calma e não se deixe envolver pela birra. Se você não pode atendê-la naquele momento seja objetivo, não se preocupe se você estiver em público e as pessoas olharem ou fizer comentários maldosos. Simplesmente tente desviar a sua atenção e a da criança para outra coisa e não ceda, nem faça discursos e ameaças enquanto a criança chora, seja o exemplo e não alimente mentirinhas. Deixe-a perceber que não vai funcionar e que não é dessa forma que ela terá seus desejos realizados. Lembre-se, perceba e responda às necessidades da sua criança e não a birra.

Compartilhar

Buscar no Blog

Publicações Recentes

Receba em seu e-mail

Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos exclusivos.